Translate

12 agosto 2013

A História de Amor de Todos Nós

Essa é um história que não é de amor exatamente como imaginamos mas quem sabe podemos dizer que é a história de todos nós.

Já reparou que andamos pela vida escolhendo pessoas, geralmente as erradas, para direcionar nosso amor? A gente se doa, vive coisas novas, cede em coisas que de outra forma não abriríamos mão e apesar dos esforços voluntários simplesmente não recebemos em troca aquilo que pensamos merecer.
          Mas sabia que amar é justamente isso? Se doar sem esperar nada em troca.  Devemos aprender a nos amar primeiro, depois os familiares e se doar a eles de verdade para somente então estarmos aptos a um relacionamento a dois.  Enquanto buscamos o amor teremos a oportunidade de experimentar coisas dolorosas e alegres que acontecem para nos impulsionar a eliminar as falsas necessidades e tudo que nos atrapalha.  Nem sempre conseguimos enxergar isso com clareza, no entanto, a partir do momento em que observamos com calma, sem resistências aí sim começamos a amadurecer para o amor. Ah, não deixe de ver o teste as várias faces do amor e perceba como voce vive suas relações.
          É incrível este amadurecimento e nos deparamos com um fato importante – buscamos o amor a dois, mas descobrimos o amor universal. São tão poucos os que atingiram esse patamar.
        O caminho para se descobrir o amor é longo e doloroso, porém vale a pena tentar.  Comece por limpar seu interior, lá no fundo mesmo onde estão as coisas da infância, sua auto-imagem, as coisas que seus pais te “impuseram”.  Tente reorganizar tudo que ali está por mais difícil que seja.
          Cumprida esta etapa permita que seus medos e fantasias aflorem do jeito que são - com as distorções e sombras do passado.  Nesta etapa você vai enxergar a verdade.  Terá que se responsabilizar por ter permitido que sua vida tomasse o rumo que tomou.  Ninguém tem culpa das coisas que aconteceram.  Todos fizemos o melhor até descobrirmos que era preciso tornar mais fortes, sábios, disposto e prontos a fazer ainda melhor.
         O restante das etapas você encontrará lendo o livro “Enquanto o Amor não Vem” de Iyanla Vanzant.  Eu não falaria deste livro se não fosse importante.  Tem algumas poucas pessoas neste planeta que realmente são inspiradas ao escrever. Segue o link:


Você pode estar se perguntando: “Mas Jan, porque você não completa o artigo com todas as etapas?”.  Aí é que está amiga(o) abelhuda(o), nós precisamos provar a nós mesmas(os) que realmente queremos vencer, que queremos alcançar o verdadeiro amor.  A vida é feita de escolhas e sonhos que só são alcançados mediante esforços.
Assisti a um filme semana passada que gostei muito por retratar a dura realidade dos relacionamentos.  Trata-se de um rapaz que conhece uma moça e jura de “pés juntos” que encontrou o amor de sua vida e passa a agir neste sentido. Se doou, se anulou, cedeu, enfim fez tudo pela moça.
Está pensando que ela se deixou levar por essa atitude?  Não mesmo.  Simplesmente o usou e curtiu o momento até que um dia ela o mandou embora de sua vida sem maiores explicações.  Até que ele descobre, por meio dela e indiretamente, que a mesma estava prestes a se casar, assim quase do nada. Uma loucura!  A garota passou a sair com outro homem enquanto curtia o rapaz apaixonado.
Não pense você que concordo com isso desta maneira. Devemos ter caráter em nossas atitudes para com os outros, principalmente pessoas muito próximas e que nos amam.  O fato é que essa é a história de todos nós. Nem venha dizer o contrário pois quem é que em algum período de sua vida  não se entregou a um sentimento especial enquanto a outra parte apenas te "curtia" - se é que isso pode existir em relacionamentos sérios.
Neste filme o rapaz era alguém com vida bem estruturada, amizades de infância, firme em seu emprego mesmo não sendo o que queria da vida.  Ela por sua vez sofreu um duro golpe quando criança – enfrentou a separação dos pais e a partir daí tornou-se “insensível” se esquivando e protegendo o tempo todo do sentimento de amor, aliás dizia que ele não existia.  Não se fixava em emprego, não se doava ou tinha consideração pelas pessoas.
No meio destes acontecimentos algo relevante aconteceu na vida dela, percebeu que o amor existia sim e valia a pena se unir a uma pessoa especial e passar o resto da vida ao seu lado. Ela aprende isso com o rapaz apaixonado.  Ele, por sua vez, descobre que não nos apaixonamos ou amamos apenas uma vez.  Temos a felicidade de encontrar novas oportunidades quando os relacionamentos anteriores não dão certo.  A partir daí resolveu a mudar de emprego para fazer o que gostava (vamos ressaltar que o que se passa em nossos relacionamentos afeta todas as áreas de nossa vida).
Perceberam que tudo é uma questão de escolha?  Ele sempre enxergava o lado bom e bonito da vida.  Ela escolheu ser uma pessoa assentimental pelo fato de ter vivido a dor da separação dos pais.  É dolorido sim mas tem muito mais coisas na vida e não devemos estacionar, nos privar da boas coisas que a vida nos reserva.
Abelhudos, deixo aqui o nome do filme que é uma comédia romântica bem realista.

 Filme:   (500 dias com Ela)

Desejo que cada um de vocês encontrem o caminho do amor.  Graças a Deus ele existe mas depende nós o escolhermos.

Abraço,

Jan

P.S.:  Agradeço carinhosamente aos abelhudos de outros países que tem lido nossos artigos.